terça-feira, 27 de julho de 2010

Canelas, nada.

Comida? Parte da perna? Pode ser.

Provavelmente, quando escutamos ‘canela’ pensamos nessas coisas.

“Minha canela ta roxa” – Como esse blog adora desvendar a origem dos nomes, aí vem.
Canela. Can ela. Não. Vou contar a historia, é verdadeira. Meu tatatataravô estava lá.



Devo lembrá-los que o ocorrido a seguir aconteceu na pacata cidade de Canela, em RS. Prosseguindo.

Joãozinho (sim esse nome era no diminutivo) estava cortando cana. E as empilhava do seu lado. Josefina e Joana apareceram e pediram para ajudar. Levaram as canas para a cozinha. Enquanto Joãozinho terminava o serviço, Jitovaldo (meu tatatataravô), coronel daquela fazenda, veio observá-lo.

“Joãozinho! Onde que cê boto as cana cortada?”

“Sinhô, tava bem aqui ó, mais fois canelas”

Certamente, como era uma fazenda, Joãozinho queria dizer “com elas”. Jitovaldo naquele momento da história estava com umas canelas amarradas nas pernas. Para deixar cheiroso. Já existia coxa. Já existia joelho. Já existia pé. Então, Jitovaldo batizou a canela de canela.



Acreditem. Nós, do blog, temos muitas informações como essa. São sigilosas. Confiamos em vocês para contar, então, quietinhos.

Beijo me liga pra comer coxa de frango com a Josefina.

Créditos: @laura_albano

sábado, 24 de julho de 2010

Ponteiros, nada.

O relógio é um instrumento essencial para o ser humano. Ele serve para situar as pessoas, acalmá-las, estressá-las, etecetera, etecetera. Mas o grande dono do relógio é o ponteiro. Ele é o imperador das horas. Ele aponta. Ele manda no trem.

Todos somos subordinados ao mestre do tempo. Mas afinal, como ele se sente com toda essa pressão? Como ele lida com o excessivo assédio de suas fãs? Isso tudo você confere na entrevista a seguir.

About Nothing: Boa noite, senhor Ponteiro. Como estás?

Sr. Ponteiro: Atrasado, como sempre. Minha vida é uma loucura.

AN: E você sofre muito assédio?

SP: Nem fala. Essas ponteiretes me matam.

AN: O que é isso?

SP: Minhas tietes. A maioria é da família dos minutos, já que as horas não gostam muito de mim. Não gosto de falar disso.

AN: Hmm. E o que você faz no seu tempo livre?

SP: TEMPO LIVRE? Você realmente acha que eu tenho TEMPO livre? Já estou super atrasado e você ainda quer saber do meu tempo livre... Mas você e esse blog são mesmo uma... @#$%&*¿

O resto da entrevista não pôde ser divulgado devido à falta de respeito e de educação pela parte do seu ponteiro. Coisa feia, feia.

Beijo me liga pra gente virar uma ponteirete.

Ponteiro Bêbado.

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Cárpatos, nada.

Não, não é carrapato. É um pequeno arco em torno da planície da Hungria, Montes Cárpatos. Você já o viu? Não? Nem eu.

Pois bem. Um mochileiro estava totalmente perdido, com seu cão vira-lata, andando por aí na Hungria. Resolveu ir naquele lugarzinho, solitário, bonito até. Construiu uma aldeiazinha. Ele, seu cão, e os carrapatos.

Depois de uns meses na aldeia, já existiam mais de 45 cachorros. O mochileiro sempre perdia a conta. E com esses 45 cachorros, tinha 17.543 carrapatos. Sim, o mochileiro conseguiu contá-los. Então, resolveu colocar um nome naquele lugar, já tava na hora né. Como o mochileiro era francês, disse: “Bem vindos ao Cárpatos! Lugar onde cães morrem desnutridos!”

Carrapatos nos Cárpatos.

É, eu não sei escrever a frase toda em francês, e provavelmente "cárpatos" não é em francês, mas, whatever. Tudo nesse blog é verídico sim, da nossa imaginação, então está correto. Se não estão entendendo esse meu desabafo, fiquem sabendo que eu também não entendi, só estou apenas aumentando o tamanho desse post. Há

E então ele inventou um nome para aquela peculiar cadeia de montanhas (ou o que quer que seja aquilo). Mas alguém lembrou de dar crédito a ele? Ao misterioso mochileiro? Não. Mas quem liga? Eu é que não.

E sim, eu usei o livro de geografia e pesquisei no Google sobre Cárpatos.

Beijo me liga pra assar carrapatos e comer de garfo.

Créditos: @laura_albano

domingo, 18 de julho de 2010

Cílios, nada.

Todos se depilam. Depilam as pernas, as axilas, o bigode, a sobrancelha (às vezes até demais, rs), etc. Mas e os cílios? Pêlos feitos pra ficar ali e proteger seus queridos olhinhos de poeiras malignas. Pêlos vão, pêlos vem... mas os cílios continuam lá.

Porém existe um tipo especial deles. Os filhos da noite, que usam um artefato para ocultar sua verdadeira identidade, chamado “máscara para cílios”. Ou popularmente conhecido como rímel.

Esse tipo diferente de pêlos oculares tem um propósito: conquistar os pêlos do sexo oposto. Os maiores usuários do ‘rímel’ são os cílios femininos, que querem um Zorro só pra elas. Ai, loucura.

Cílios sensuais na night.

Qual é a verdadeira função física dos cilios? Esse negócio de proteger de poeira não cola mais. Fui pesquisar isso e descobri que existe um tipo de beijinho dos olhos, chamado ‘beijinho de borboleta’, onde os cílios se esfregam para fazer cosquinha.

QUEM TEVE ESSA IDEIA? Isso é que eu chamo de idéia de jerico. Deve ter sido para dar pelo menos uma razão para a existência dos pobres e piscantes cílios.

Proteja seus cílios, e segure-os para eles não se empolgarem e partirem logo para uma borboletinha. Hm, que safadeza.

Beijo me liga pra gente piscar pro Zorro.



Colaboration: @bella_turba

sábado, 17 de julho de 2010

Gagos, nada.

Jovens, como o título já indica, vamos discutir sobre os coleguinhas gagos.
Antes, uns esclarecimentos.

- Se você ficar ofendido com o post, a Equipe About Nothing pede desculpas, é apenas um blog 'comediante'. Por favor, nos compreenda. Grata.
- No meu post sobre adultos, era tudo brincadeira. Adultos, não nos xinguem.

Ok.

Inácio: Ei, o blo-blo-blog na-na-não te-te-tem e-e-equipe.

Whatever, um dia vai ter. Estou apenas ajudando a Bruna Kalil, então não me in-in-interrompa.

Tem muita gente que crítica os gagos, e tem até preconceito. Mas eu lhes digo: “Cante seus infelizes, quero ver, vocês gaguejam cantando, eles não.” (Caso você seja estúpido e não saiba gagos não gaguejam cantando.)

Não estou dizendo que eu não rio deles. Pra falar a verdade, eu não consigo não rir de alguém que fale co-co-colher. E meus amigoms, tem gagos famosos, tipo o Gaguinho do Looney Tunes, e uns cantores pelo mundo afora, como Lady Gaga. Felizmente eu não conheço nenhum deles.

Também tem os gagos bonitões, porque o problema é na fala, se você não notou ainda. Mas, se você agüentar alguém ficar lhe dizendo: E-e-eu te-te a-a-amo, vou te dar os parabéns. Você tem a paciência que eu não terei jamais.

Conheço um cara. O amigo dele tem um amigo que tem um amigo que é gago. Gustavo. É gay. Grande. Gordo.



Pois é-é i-i-isso p-p-pessoal!

Beijo me liga pra irritar a Bruna Kalil falando co-co-colher.

Créditos: @laura_albano

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Bochechas, nada.

Bochecha famosa.

Essas partes do corpo FENOMENAIS ficam entre a boca e as orelhas. Poucas pessoas se perguntam a função das bochechas. Eu sou uma delas. Vivi querendo descobrir para que elas servem.

Minhas perguntas variavam de qual é a sua finalidade desde qual é o seu inimigo natural. A primeira, bom, eu não sei. A segunda é bem óbvia, já que as inimigas das bochechas são as tias-avós que você não vê há muito tempo, e que fazem questão de cravar suas unhas postiças nas pobres bochechas dos sobrinhos (você). E dói, é.

As pequenas e confusas bochechas sofrem para se manterem limpas, já que vivem rodeadas de marcas de batom (aí as tias-avós de novo minha gente) e de blush – no caso das vaidosas.

Ok, nem sempre pequenas.

O que muita gente não sabe é que essa misteriosa parte da face tem vida. Vocês pensam que não, que isso é um absurdo, etc. e tal... Absurdo é vocês não reconhecerem as bochechas! Elas querem se libertar do rosto, ser uma parte independente.

Se bem que seria estranho. Imagina você trombar com uma bochecha ambulante voando por ai O_o ia ser muito tenso. Dica de hoje: segure seu rosto e não deixe nada escapar, é.

Beijo me liga pra gente ressuscitar o Claudinho.

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Adultos, nada.

Ninguém melhor do que um adolescente para discutir o poder dado a esses seres considerados humanos apenas por eles mesmos.

Primeiro eu vou dar uns avisos. Se você é adulto, pare de ler agora mesmo. E se você discordou com minha comparação... Saia daqui agora, seu podre.

OBS: EU TAVA DE BRIMKS COLEGAMS.



Está bem, de onde veio a denominação "Adultos"? Uma suposta junção de: A (1ª letra do alfabeto) + dul ("do" falado por um caipira) + tos (item não decodificado)
A-do-tos. A letra "a" é do Tos ? Não entendi nada. Vamos adiante.

Os adultos agem como se fossem os donos do mundo. Ninguém tem razão além deles. Eles amam colocar a culpa de tudo no computador. Alguns mandam até nos próprios pais. O que é isso? Consumo ultrapassado de Adultrição (adulto + nutrição).

Se você tirar a razão deles, já era pra você. Tá de castigo. Fim.

Motivo: desconhecido por seres realmente humanos. Porque, aliás, castigos não adiantam NADA. É verdade, até Albert Einstein disse.


"Castigos não adiantam meus amigos."

Não seria lindo um mundo dominado por adolescentes? Seria sim. E isso foi um desabafo.

Beijo me liga pra gente dominar o mundo com o Albert.

Créditos: @laura_albano

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Pinguins, nada.

Um pequeno fato: metade das pessoas que tem geladeira tem um pingüim em cima dela. Isso é um hábito estrangeiro, que foi abrasileirado como quase tudo nesse country.

Por que as pessoas fazem isso? Metade da metade que tem não sabe porque tem. Estão só copiando do vizinho. Mas eu? Eu sei.

Os gerentes da CIA e da Scotland Yard inventaram um macete para proteger suas geladeiras de ladrões famintos. Colocar pingüins espiões com câmeras nelas. E em breve esse ato virou febre. Quem tinha era cool.



Embora poucas pessoas soubessem o real sentido dessa manha aparentemente supérflua, elas continuavam a fazer e espalhar cada vez mais.

Estou alertando você, pois a cada pingüim em cada geladeira é um espião na sua casa! Você quer ter todas as suas fugidas à geladeira documentadas por uma ave de plástico? Então corre lá e dá um tiro no seu mini-spy.

Pinguins conhecidos entrando em ação.

Ah! Não esqueçam das variações, que vão de patos até porquinhos da índia. Cuidado. Dê cada passo cuidadosa e silenciosamente (pois a visualização das câmeras ainda é um pouco embaçada, mas o áudio é impecável), e proteja seus registros do MSN (não tem nada a ver mas eu tenho que encher lingüiça). Não custa nada, baby.

Beijo me liga pra gente assaltar a geladeira da CIA.

Esclarecimentos.

Só pra constar gentem, vou dar uns conceitos aqui para esclarecer as cabecinhas de vocês.

Quando eu coloco "Ideia", quer dizer que a pessoa só me deu a ideia, e eu escrevi o treco lá.

Quando eu coloco "Colaboration", quer dizer que a pessoa me deu uma colaboração, me falou alguma coisa que prestasse e que eu poderia por pra ficar mais engraçado/idiota.

Quando eu coloco "Créditos", é porque foi aquela mente brilhante que escreveu pra mim. Não fui eu. It wasn't me. NÃO FUI EU

Entenderam monstrinhos? Que bom. :)

Beijo me liga pra gente se colaborar. (to sem criatividade todai

domingo, 11 de julho de 2010

Sonhos, nada.

Sweet drams or beautiful nightmare? Tchau Beyoncé. Vamos lá.



Sonhos, é. Quem nunca teve um? (Chuck Norris) Existem muitas pessoas sonhadoras, falo sério. E essas pessoas muitas vezes fazem isso porque o seu mundo real não está muito bom. Mas, o mundo dos sonhos é muito melhor que essa budega. É de sonhar acordado SIM. Porque sonhando acordado você não é perseguido por um gordinho suado correndo atrás de você. Você sonha com o que realmente quer que aconteça na sua vida.



E isso começa na infância, sabem aqueles sonhos de cachoeiras, pingos, chuva, banheiros... e... acidentes na cama ao acordar. Esqueçam a privadas, por favor.
É tudo um ciclo, na infância você sempre tem uns sonhos de gay como uns arco-íris, e no final dele, uns duendes lindinhos, distribuindo ouro. Pôneis. Pollys. É isso aí.

Quando você esta nos seus 13,14, por ai, seus sonhos se baseiam mais ou menos no que você quer pra sua vidinha. Não vou citar se não as pessoas não leriam o post.

Ah! Tem os sonhos dos meninos que. PAROU, PAROU TUDO.
Por isso não vou continuar a pensar.

Beijo me liga pra escorregar no arco-íris com a Beyoncé.

Créditos: @laura_albano

sábado, 10 de julho de 2010

Pudim, nada.


Hora da sobremesa. Família reunida, barrigas cheias depois da macarronada dominical, crianças pulando pra ver se tem chocolate. E ele. Sempre na retaguarda, observando.

Estamos falando do Pudim. Uma sobremesa, um simples doce. Excluído dos cardápios infantis, sofrendo no anonimato. O que muitos não sabem é que o Pudim é solitário. Não tem amigos.

“O Leidensado (leite condensado, apelido dado pelos próximos) faz um clubinho com o Carãomelo (caramelo) contra mim. Aí eu fico sozinho.” Diz o pobre Pudim.

Mas eles devem ter um motivo. Será que o Pudim é esse santo mesmo ou é falseta? Fiz umas pesquisas e descobri o passado (literalmente) sujo do nosso assunto de hoje.

De acordo com minhas fontes, o Pudim trabalhava como camelô antes de virar sobremesa, e vendia produtos de limpeza contrabandeados, que não limpavam. Sujo, bem sujo.

Depois de denúncias anônimas, abandonou o ramo e virou telefonista de marketing. Não deu certo. Sua última saída foi ligar para a Tia Anastácia, e foi aí que ele se tornou o que é hoje, vivendo no Sítio do Picapau Amarelo.

Isso pode ser verdade. Ou não. Afinal, quem realmente sabe tudo sobre o Pudim? Ninguém, ou nada.

Beijo me liga pra gente entrar pro clubinho do Leidensado.

Maior adorador do Pudim; grande Cosmo.

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Pintas, nada.

As pessoas devem se perguntar: "Porque essas bolotinhas no corpo chamam pintas? Será o feminino de pintos?" (os animais, grata.)

Talvez, meu caro, seja isso mesmo.

Finja que são pintos fêmeas.

Irei esclarecer a origem de ”pintas”. Em 1766-1844 havia um galinheiro. Em Gana. Era grande. Era grudento. Era global. O dono era o George, tinha vários pintinhos nele. George amava pintinhos. Pintou um na testa.

Um belo dia, andando pela cidade, uma multidão o cercou. Sussurravam e apontavam para sua testa. John Dalton aparece.

Gatinho da night.

E diz: "Meu jovem, que mancha estranha é essa no seu rosto?"
George: "Deduza você mesmo, gênio."
Pronto. Dalton disse que era um pinto. Mas esse nome já era utilizado em três coisas.
1ª Animais.
2ª Sobrenomes.
3ª Nada a declarar.
Continuando. O gênio batizou de pinta. Eu pinto. Tu pintas. Ele pinta. Feito.

Se não entenderam, eu não irei explicar.

Beijo me liga pra gente ir pintar com o pinto.

Colaboration e créditos: @laura_albano

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Umbigos, nada.

Um bigos.

Tudo começou quando você foi fecundado. Aos poucos você foi crescendo, e depois de nove meses, tu foi retirado brutalmente daquela casinha quente e aconchegante, o útero. Quando eles te arrancaram de lá, a sua comunicação com a sua mãe foi partida. Os médicos ficaram com seu cordão umbilical; e o que sobrou pra você? Seu umbigo.

Essa peculiar parte do corpo é um buraco no meio da sua barriga que te lembra de como você foi separado da mams. Bom, é uma parte do organismo MUITO estranha. Já tentou lavar seu umbigo? Não tente.

Mas afinal, que nome é esse!? Se temos apenas um umbigo, por que ele já não se chama bigo? “Oi eu sou o Juquete e tenho um bigo, mas o meu colega Carlito tem dois bigos.” Não ia ficar mais fácil?

Nome estranho, lugar mais ainda... E função desconhecida. Não há registros de para que o umbigo serve. Será que ele faria falta? Bom, ia ser um lugar a menos para guardar lanchinhos pra mais tarde. Hm

Pensando pelo lado positivo, o umbigo dos mais sujinhos pode ser um estoque de algodão, mas só não garanto que será branquinho, er. É só isso. Não tem mais coisas boas sobre o (um) bigo.

Ele é um mal. E quer dominar o mundo. Segure a sua barriga e tome cuidado pra não levar um tumé. Nada disso.

Beijo me liga pra gente lavar os bigos do Carlito.

Ideia: @laura_albano

sexta-feira, 2 de julho de 2010

Cookies, nada.

Mulher comendo cookies loucamente.


É fato que cookies são bons. Mas ÓBVIO, não são invenções dos brasileiros. Vou contar para vocês a triste historia de um cookie.

Era uma vez na Eslovênia um padeiro solitário e gordo. Ele viveu sua vida inteira tentando produzir algo que prestasse na sua padaria velha e obscura.

No alto dos seus 98 anos, ele tentou fazer sua última receita, mas ele pôs pouco fermento. Quando retirou do forno, saíram aquelas belezinhas: os mini-cookies.

O velho morreu de emoção. E deixou seus b-cookies à deriva. Então, eles, confusos e desordenados, fugiram do sobrinho malvado e faminto do homem. Correram tanto, e finalmente chegaram na Bauducco. Lá foram acolhidos aconchegantemente, e viveram happy forever.

E essa é a história dos cookies comestíveis. Isso mesmo, você acha que existe só um tipo? Viveu enganado.

O outro tipo de cookie- os não comestíveis - são os preferidos das moçoilas jovens com os hormônios borbulhando. Já devem saber o que é, não? Para bom entendedor meia palavra basta. (Se tu não entendeu, sinto muito, já to falando DEMAISÊ.)

A denominação cookie ficou tão famosa que aparece em músicas de rappers famosos, como Simon Nelson Cookie e Gym Class Heroes.

Mudou sua opinião sobre essa comida maravilhosa? Eles agradecem. Cuidado pra não engasgar, eles mordem tua língua. Nada.

Beijo me liga pra gente cantar com o B-cookie na Eslovênia.

B Cookie.

Ideia: Mari Machado Cookie.

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Números, nada.

Todos conhecem a denominação “número um”, “número dois”. Mas alguém sabe de onde veio isso? Ou quem foi a mente brilhante que teve essa ideia?

Eu sei. Foi o grande Napoleão Bonaparte, que saiu no meio da guerra do Nordeste (procurou um matinho e não achou), e para avisar os companheiros disse em código: “Vou fazer número dois, merci bocu.”

A expressao foi popularizada na França, quem falava era gran fino. E em breve ela conseguiu atingir o mundo. Mas como a vida é irônica, não. Hoje se você falar isso na sua entrevista de trabalho você será taxado como primitivo e desprovido de inteligência.

O que importa é que mesmo sabendo de onde essa expressão peculiar veio, não consigo imaginar uma razão plausível para a criação do mesmo.

Afinal, o número um é mais importante que o dois? O que o um tem de mais especial que o dois? Por que são números? A importância se define pela ordem crescente? Pela decrescente?

Não dá para saber. O que Napoleão tinha na cabeça quando inventou os nomes tão usados pelas necessidades humanas só Deus sabe.

E a dúvida permanece... qual a razão para “número um” e “número dois” ? Nada explica.

Beijo me liga pra gente procurar matinho no Nordeste.



Colaboração e ideia: Matheus Kalil e Bruno Kalil

Frutas, nada.


Alguém sabe o que tem no interior das frutas? Sementes? Não. Caldinho? Não. Nada disso. Pensem comigo, como será que as frutas ficam molhadinhas e gostosas e nutritivas? Naturalmente é que não é.

Antes que eu conte, confiram que não tem ninguém perto aí. Isso é sigiloso. Estou contando porque confio em vocês, colegas.

Se imaginem em uma floresta. Daquelas mágicas, cheias de duendes, fadas e unicórnios. Agora a deixe do tamanho de uma pêra. É assim. É um mundo surreal, onde cada criatura tem uma função para deixar a fruta suculenta.

Vocês devem estar confusos. “Como eu nunca vi isso?” E depois dessa descrição vocês realmente acham que eles seriam burros o bastante para deixar isso aberto para o mundo, e pôr sua tranqüilidade em jogo? Ha-ha.
“E como você descobriu isso?” Inventando é que não foi. Tenho minhas fontes, meu caro.

Então, é uma mini-fábrica, onde tudo funciona perfeitamente e só termina quando a fruta fica madura, esperando só ser colhida por um humano sedento de comida.
Viram como a natureza é impressionante? Mas não se deixem levar pelas frutas podres, pois são reinos dominados pelo mal. A solução é queimá-la e jogar no rio. Não custa nada.

Beijo me liga pra gente andar de unicórnio na melancia.

( ideia: @cla_aburachid )